Total de visualizações de página

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013


28/02/2013

Realizamos dia 27/02/13, nossas 7ª. e 8ª. Reuniões Extraordinárias do ano. Em pauta discussões e votações finais para os seguintes Projetos de Lei ordinária:

1.     Projeto de Lei ordinária que autoriza a concessão de subvenção social à Fundação Hospitalar São Sebastião – valor R$630.000,00 – para aplicação no Pronto Atendimento Municipal – Urgência e Emergência, no exercício financeiro de 2013 e dá outras providências. (Projeto visando a contratação de pediatras para atuarem diariamente no Pronto Socorro)


2.     Projeto de Lei ordinária que concede subvenção social à Fundação Hospitalar São Sebastião – valor R$300.000,00 (trezentos mil reais), para aplicação no Pronto Atendimento Municipal – Urgência e Emergência, no exercício financeiro de 2013 e dá outras providências. (Projeto para saldar dívidas da administração anterior)


3.     Projeto de Lei ordinária que possibilita a realização de convênio com a Fundação Hospitalar São Sebastião, para repasse de verbas oriundas da Secretaria de Saúde do Estado de Minas Gerais, para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência/SAMU e dá outras providências. (Projeto para o convênio que viabiliza o SAMU)




Em seguida, realizamos a Reunião de Comissões, na qual analisamos os seguintes Projetos:

1.     Projeto de Lei que autoriza o Poder Executivo Municipal a celebrar convênio com o Lar Fabiano de Cristo, objetivando o repasse de recursos do FUNDEB, anualmente, e dá outras providências. (Será repassado o valor de R$78.070,80, dividido em oito parcelas iguais e sucessivas, valores estipulados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE)


2.     Projeto de Lei que concede subvenção social de R$2.160,00 à Entidade Assistencial do Município – LAR ANJO DA GUARDA – FIA, no exercício financeiro de 2013. (Subvenção social para a execução do Projeto “UNIR O ÚTIL AO AGRADÁVEL”)


3.     Projeto de Lei que autoriza a abertura de crédito adicional ESPECIAL no orçamento do Poder Legislativo e dá outras providências. (Abrir crédito adicional especial no orçamento do Poder Legislativo, no valor de R$20.000,00, em virtude de adaptação ao novo Manual de Contabilidade Aplicada ao Setor Público)


4.     Projeto de Lei que institui a Gratificação Complementar (GC) ao Profissional Médico Especialista e dá outras providências. (A gratificação complementar será de no máximo 100%, sempre respeitada a necessidade, demanda reprimida e a discricionariedade da Secretaria Municipal de Saúde, e incidirá sobre o vencimento base do profissional Médico Especialista, no mês seguinte ao do período da prestação do serviço)


5.     Projeto de Lei que dispõe sobre a criação do Ensino de Educação Infantil com o nível Creche (0 a 3 anos) na Escola Municipal “Professora Cândida Junqueira (CAIC). (“Em função da falta de espaço físico nos prédios de outras escolas municipais e da crescente demanda deste nível de ensino na região em que esta escola esta localizada)


6.     Projeto de Resolução que Regulamenta o valor e a forma de concessão e pagamento das diárias dos Servidores e Vereadores da Câmara Municipal de Três Corações e dá outras providências. (O teor deste projeto pode ser lido abaixo)


7.     Mensagem de Veto 001/2013 ao Projeto de Lei que dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos Servidores Públicos Municipais. (Tal veto atinge o Art. 1º. do Projeto de Lei Complementar No. 331/2013, e extingue o Cargo de Provimento em Comissão, Denominação Diretor Coordenador, No. de cargos 03, Nível de vencimento C 08, constante do ANEXO V – CARGOS DE PROVIMENTO EM COMISSÃO.)


Observação: Estou disponibilizando apenas o Projeto de Resolução abaixo, em sua íntegra, mas todos os outros podem também serem solicitados caso haja interesse.



   







        



Hoje, também, fui entrevistado na Rádio Tropical, no programa ‘Cidade em Revista’, por Elisamara Resk. Respondi a algumas perguntas de ouvintes, das muitas que nos chegaram, sendo que haviam muitos interessados em projetos que tenho em relação ao tratamento de dependentes químicos. Fiz questão de ressaltar que minha recente solicitação ao Executivo para termos um PSICÓLOGO em cada escola municipal e creche, tem o objetivo de prevenção às futuras instalações de quadros psicopatológicos como a DROGADICÇÃO. Infelizmente, o tempo curto da entrevista não permitiu maiores esclarecimentos. Novos programas virão!





Parabéns à ESCOLA DE SARGENTO DAS ARMAS, nas pessoas do seu General de Brigada Pereira Gomes e do Coronel Marcelo Ferreira, pela realização do 1º. Workshop Cultural nesta semana. Impressionante a qualidade das apresentações e a participação de nossa comunidade.





Parabéns ao grupo BALAIO DE MINAS, pela belíssima apresentação que fizeram no Teatro da EsSA ontem, capitaneados por Ronildo Prudente e Luciana Sant’anna, além de outras vozes e instrumentistas de singular pendor artístico e cultural. A platéia vibrou ao se identificar com o que estava sendo apresentado. Inovador e criativo! Que venham muitas outras apresentações!










terça-feira, 26 de fevereiro de 2013


26/02/2013

Ontem, em nossa 3ª. Reunião Ordinária, discutimos e votamos em ‘1ª. Discussão e Votação’, todos os vereadores favoravelmente, os Projetos de Lei discriminados em postagem imediatamente anterior a esta.

Apenas o Projeto de Lei que autoriza o Município a fomentar o Clube Atlético Tricordiano através de apoio financeiro, foi pela premência do caso, levado à Reunião Extraordinária, seguinte a esta, para ser definitivamente aprovado.






Nesta reunião, recebemos o Padre Rogério, que ocupou a tribuna para fazer o lançamento da Campanha da Fraternidade deste ano, que tem seu foco na Juventude e tem como tema “EIS-ME AQUI, ENVIA-ME”. Estas palavras do profeta Isaias, instigam à doação de si mesmo e à ação solidária. Ele fez um relato de toda a história da Campanha da Fraternidade, como nasceu e como se adapta às questões contemporâneas, levando à reflexão de sub-temas concernentes ao tema principal e conseqüente tomada de atitudes frente às conclusões a que se chegam. Falou brilhantemente, trazendo dados reais, expondo a existência de discriminação racial e da pobreza em nosso País, e pedindo, em nome de sua Igreja, providências a estas mazelas.





Novos Projetos de Lei deram entrada nessa reunião, mas assim que chegarem às Comissões, falo sobre eles.


Particularmente, ao fim desta reunião, fiz minha Justificativa, a um Requerimento que fiz (em nossa sessão ordinária anterior) ao Executivo, propondo estudos para uma ATIVIDADE CONJUNTA ENTRE AS SECRETARIAS DE SAÚDE E DE EDUCAÇÃO, PARA O ESTABELECIMENTO DE UM SERVIÇO DE SAÚDE MENTAL JUNTO ÀS ESCOLAS E CRECHES MUNICIPAIS.

Em outras palavras, solicitei ao Executivo considerar a possibilidade de oferecer um PSICÓLOGO para cada escola municipal urbana e outro que percorresse as escolas rurais, e outro às creches do município. Abaixo, transcrevo minha justificativa:


"Os cuidados com a Saúde preveem três níveis de intervenção: primário, secundário e terciário. Sabemos pela experiência adquirida na observação e através de inúmeros estudos científicos que o investimento no primeiro nível, na prevenção, em muito diminui o ônus a ser pago quando a doença já se instalou. Quando falamos então de saúde mental este ônus confunde-se com a própria vida.

Muitas vidas poderiam ser poupadas se cuidássemos como deveríamos de nossas crianças e adolescentes. E, eles não nos pedem muito. Pedem apenas respeito às suas necessidades básicas de sobrevivência. Pedem casa, comida e roupa. Mas, sobretudo, pedem Pai e Mãe.

As inúmeras atribulações do mundo contemporâneo trazem enorme insegurança às famílias. Isto, aliado às novas configurações familiares, facilitadas pelo questionamento de valores como o poder da autoridade paterna; a presença cada vez maior das mulheres no mercado de trabalho e como chefe de família; os novos vínculos baseados no homoerotismo; a facilitação para a união, bem como para a desunião a despeito da presença de filhos; e a quase ausência do Estado como regulador dos direitos e deveres de cada um desses pais. Para se ter uma ideia, não é possível exigir de um pai que ele exerça sua função de pai! Não há como cobrar dele sua presença, sobretudo emocional, que é a que mais importa em se tratando se saúde mental, na criação de seu filho! Alguns pais acham que ‘pagando pensão’ já estão fazendo sua parte! Isto quando pagam, e não apenas ‘engambelam’ a Lei pagando um mês, faltando dois meses, pagando o terceiro, e por aí vai.

Bem, é preciso entender que toda criança é um ser em formação. Criança não nasce pronta: faz-se a partir da interação entre seus constituintes biológicos e do contexto sócio-familiar no qual vive. Quando há falhas nessa interação, a criança geralmente reage constituindo mecanismos defensivos para se proteger. E, quando este jeito de ser torna-se um hábito, se instala o que pode ser configurado em um quadro psicopatológico. Assim, vemos quadros definidos como ‘Déficit de Atenção’, ‘Hiperatividade’, ‘Dificuldade de Aprendizagem’, ‘Falta de Concentração’, além de outros de caráter eminentemente psicossomático.

Muitas vezes, digo aos meus alunos de medicina, não se adiantem para diagnosticar uma criança, atribuindo-lhe o nome de uma doença que poderá vir a estigmatizá-la e que, nem sempre, corresponde à sua real necessidade. Antes, cuidem para investigarem o que está por detrás deste quadro, é aí que deve ser feita sua intervenção.

Além de tudo isto, o que tenho percebido, é que muitas famílias ‘delegam’ de forma consciente ou não, às Escolas e Creches, a educação que elas deveriam dar a seus filhos. Não fazem isto por mal. Fazem por estarem sobrecarregadas, despreparadas, fragilizadas no seu poder de atuação. Por outro lado, as Escolas, seus profissionais, não têm, por mais dedicação e envolvimento com seus alunos e estas famílias, competência para oferecer esta devida educação.

Daí, a indicação que faço ao Executivo, de se ter uma iniciativa conjunta das secretarias de saúde e educação para constituírem um serviço de saúde mental junto às escolas e creches municipais, começando, por exemplo, pela contratação de um profissional da psicologia, ao menos um, em cada Escola da zona urbana, e outro que veiculasse pelas escolas rurais, e em cada Creche, ou num grupo de creches, para, através de sua sensibilidade e preparo atuarem de forma interativa entre escola, família e aluno, observando e intervindo de modo preventivo e por vezes até terapêutico, junto a estas sementes do amanhã. Se elas, no futuro, vierem a dar árvores frondosas e frutíferas, certamente será pelo Amor que por hora lhes dedicamos."







Logo em seguida, recebemos, em nome do Clube Atlético Tricordiano, o Sr. Toulouse e a Sra. Evelina, que vieram nos falar sobre o Projeto “SÓCIO TORCEDOR”, que visa agregar pessoas em torno do clube, oferecendo-lhes alguns benefícios.

Abaixo, o folder do Projeto, somente acrescentando que, o valor a ser pago para ser ‘Torcedor 10’ é de R$120,00; e o valor para ser ‘Torcedor Master’ é de R$200,00.






Durante o dia, eu e a vereadora Edna Mafra, acompanhamos membros da VIRAMINAS, numa reunião com membros da diretoria da Unimed TC, quando está se buscando uma parceria para futuros projetos culturais.






terça-feira, 19 de fevereiro de 2013


19/02/2013

Ontem, em nossa segunda reunião ordinária, foi discutido e aprovado, e referendada esta aprovação em reunião extraordinária seguinte, o Projeto de Lei que autoriza a abertura de crédito adicional Especial para atendimento do convênio para reforma e ampliação da Escola Estadual Bueno Brandão. O Estado, através da Secretaria de Educação, nos credita R$1.079.420,76 (um milhão, setenta e nove mil, quatrocentos e vinte reais e setenta e seis centavos), exclusivamente para este fim, sem ônus para os cofres municipais.

Excepcionalmente, a reunião das Comissões foi realizada em seguida, quando analisamos os seguintes projetos, que deram entrada em nossa 4ª. Sessão Extraordinária, de 08/02/13:

1.     Projeto de Lei que autoriza a concessão de subvenção social à Fundação Hospitalar São Sebastião, no valor de R$630.000,00, para aplicação no Pronto Atendimento Municipal-Urgência e Emergência, no exercício financeiro de 2013.

2.     Projeto de Lei que autoriza o Município a fomentar o Clube Atlético Tricordiano através de apoio financeiro.

3.    Projeto de Lei que autoriza o Poder Executivo Municipal a transferir doação de bens móveis (equipamentos de informática) aos municípios de Cambuquira-MG, Campanha-MG, São Thomé das Letras-MG, São Bento Abade-MG e Carmo da Cachoeira-MG, e atendimento à Resolução SES 2136/2009 que “Dispõe sobre a transferência de recursos financeiros referente aos Planos Microrregionais de Investimento de Vigilância em Saúde de acordo com o Edital 01/2009, aprovado pela Resolução 1796/2009”.


Bem, o primeiro Projeto tem como requisito básico a aplicação destes recursos no oferecimento de “Plantão Médico Presencial com um Médico Pediatra, 12 horas, de 7h às 19h, diariamente”.







O segundo Projeto estipula o valor de R$100.000,00 (cem mil reais) a ser repassado mensalmente em cinco parcelas de R$20.000,00 (vinte mil reais) àquela equipe de futebol.

Recebemos nesta reunião, a diretoria do Tricordiano, sua presidente, Sra. Cida Gomes, e outros membros, Sr. Marcos Galo, Sr. Chico Poeta, Sr. Stefano Caetano (Gerente de Futebol) e aquele que ali chamavam de Anjo da Guarda do clube, Sr. Paulinho Caqui. Ressalte-se que todos os membros da Diretoria não são assalariados, exercendo sua função exclusivamente por AMOR à cidade e ao nosso principal time de futebol.

Eles nos relataram a situação atual do clube: cerca de 40 funcionários (incluindo os jogadores) que não recebem seu salário há cerca de 40 dias. Cida dizia: “A situação do Atlético está na UTI”. Falou-nos de suas atribulações para conseguir cumprir com o pagamento das taxas necessárias à participação do clube nos diversos jogos e campeonato, frente à Federação. Falou de sua preocupação, quase materna, com o desenvolvimento dos jogadores, suas famílias e até sua alimentação. Relatou ainda que a folha de pagamento do clube gira em torno de R$37.000,00 (trinta e sete mil reais) por mês.

Entendemos que o CLUBE ATLÉTICO TRICORDIANO é um PATRIMÔNIO de nossa terra, que nos representa e deve ter nossa atenção para sua sobrevivência. Conversamos sobre o resgate de sua identidade e os apelos à comunidade para, literalmente, vestirem a camisa do time. Também falamos sobre nossa preocupação com a segurança em momentos de jogo e o que pode ser feito para minimizar os riscos de quem ali comparece.

Neste ano, o Atlético estará completando 100 ANOS! Isto precisa ser amplamente comemorado por todos nós!
Faço minhas as palavras do Paulinho Caqui, quando teria dito aos jogadores neste seu último jogo: “Pedi para eles colocarem o coração na ponta da chuteira!”






O terceiro Projeto diz respeito à situação de nossa cidade ser cidade-polo, sede de nossa micro-região, e que teria essa função de, em recebendo tais doações, redirecioná-las às outras cidades que a compõem.



Em nossa reunião ordinária, muitas indicações foram feitas ao Executivo, por quase todos os vereadores. Eu indiquei estudo junto ao setor competente para o “recapeamento das ruas Duque de Caxias no bairro Santa Tereza e Adelino Verdigueiro em toda sua extensão”.

Também, solicitei o comparecimento do Sr. Itamar Procópio, Diretor de Trânsito da PMTC, para discutirmos o TRÂNSITO em nossa cidade, que em alguns momentos chega a ser caótico.

Ainda, solicitei que nossa prefeitura enviasse à Câmara o ORGANOGRAMA das Secretarias, agora com os nomes de todos aqueles que ali ocupam cargos comissionados.



Hoje, iniciamos estudo do Regimento Interno de nossa casa legislativa. Há muito ele precisa ser revisado e atualizado, para, inclusive, alinhar-se com nossa Lei Orgânica Municipal.








sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013


08/02/2013

Na quarta-feira, as comissões da Câmara se reuniram, às 18h, para esclarecimentos, especialmente prestados pelo setor financeiro da Câmara, quanto a dois projetos que ainda serão levados à discussão: o primeiro que diz respeito aos tickets-refeição a que têm direito os servidores da Câmara, e o outro quanto às diárias que recebem os vereadores quando em viagem. Futuramente, quando tomarem a forma de projeto de Lei, apresento o conteúdo de cada um detalhadamente.

Votamos também, positivamente, pela emenda modificativa que eu havia apresentado. Portanto, desde já, a Câmara está recebendo CURRÍCULOS DE ESTUDANTES de DIREITO e de SERVIÇO SOCIAL, para serem analisados, para que possam ser integrados à Câmara como estagiários. Para maiores detalhes é só nos procurar.

No início dessa reunião, trouxe um assunto a que todos os vereadores estão sujeitos: a imensa quantidade de solicitações que diariamente recebemos de várias pessoas, na própria Câmara ou pelas ruas da cidade: cestas básicas, pagamento de contas, ajuda financeira para eventos, etc. É CONSTRANGEDOR! Há uma Cultura instituída que confunde o papel do vereador, e questionei nossa responsabilidade diante disso, bem como a postura ideal a ser adotada.

Hoje nos reunimos de forma extraordinária, às 12h, para aprovar, em segunda votação, diante da premência solicitada pela Secretária de Saúde, o projeto que permite diminuirmos de 1,5% para 1,0%, nossa contribuição ao convênio que temos com o CISSUL – Consórcio Intermunicipal de Saúde Sulmineiro.

Nesta sessão, também de forma premente, foi dada entrada de outro Projeto de Lei do Executivo, que “Autoriza a abertura de crédito adicional ESPECIAL para atendimento do convênio para reforma e ampliação da Escola Estadual Bueno Brandão e dá outras providências”. Abaixo, os projetos na íntegra. Em seguida nos reunimos com o Secretário de Controle Interno, o Sr. José Ayres de Brito, que nos explicou o teor desse projeto. O projeto tramitará pelas devidas comissões e falaremos dele após estudos mais detalhados.










Nova reunião com a comunidade do Jardim Paraíso, onde demos continuidade na discussão a duas propostas de trabalho ali: a eleição da nova diretoria de sua Associação de Moradores (eleição marcada para o início de março), e o levantamento de necessidades urgentes daquele bairro (também dos moradores da Vila Rezende), para solicitarmos ao Executivo providências no sentido de dirimi-las.


 















Parabéns à Escola Estadual Godofredo Rangel, a toda sua equipe e direção, e em especial à Profa. Rosa, que integra e está à frente do programa REINVENTANDO O ENSINO MÉDIO. Trata-se de um programa da secretaria estadual de educação que neste ano beneficiou algumas escolas no Estado, sendo o nosso Polivalente, a única escola tricordiana a recebê-lo, especialmente por ser uma escola exemplar, com eficiente desempenho de seus alunos, inclusive por contar com menos casos de evasão de seus alunos.

Este programa procura oferecer aparato técnico (no caso, nas áreas de Turismo, Empreendedorismo e Gestão, e Tecnologia da Informação) para seus alunos, instrumentalizando-os para confrontarem o mercado com mais eficiência.

Hoje, fomos lá, eu e os vereadores Edna Mafra (que foi muito aplaudida pela platéia em sua fala) e Ricardinho do Gás, para prestigiar, levar nossa disposição em trabalhar de forma conjunta e parabenizá-los por essa conquista. Falei para uma platéia de alunos e professores sobre a FORMAÇÃO DA IDENTIDADE NO ADOLESCENTE. Aliás, em toda a semana, muitos profissionais levaram suas experiências para dividir com este grupo. Vamos juntos REINVENTAR!























Parabéns à Luciana Sant’anna, pelo belíssimo show – É LUXO SÓ – que apresentou junto do muito competente pianista Vinicius Bastos. Eclético e intimista, contagiou, e representou nossa classe artística, mostrando a Arte que se faz do lado de cá. Que venham muitos outros!






Parabéns à UTAM – União Tricordiana das Associações de Moradores, na pessoa de sua presidente Maria Angélica Raphael, e de seu companheiro de trabalho, Moacir, pelo esforço em oferecer aos menos favorecidos, material escolar para que possam iniciar seu ano letivo. Muitos kits foram dados e, certamente, vão fazer diferença na vida dessas famílias.




Parabéns a toda equipe da SECRETARIA DE CULTURA, na pessoa de seu Secretário, Atila Beck, pelo empenho na realização do Carnaval em nossa cidade, esforçando-se para que ele integre nossa gente e promova a celebração da alegria, agora sob o reinado de BRIGITE (genial essa idéia, lúdica e interativa). Em especial, ao amigo Fernando Ortiz que empresta um colorido especial à festa. Vamos à Festa! BOM CARNAVAL A TODOS!






terça-feira, 5 de fevereiro de 2013


05/02/2013

Em nossa primeira Reunião Ordinária da Câmara, ontem, os dois projetos citados anteriormente foram aprovados em primeira votação, bem como minha primeira emenda modificativa, que deverá ir à apreciação das comissões específicas, para voltar à nova votação em plenário.


Mas, quero agora fazer referência àquilo que achei mais significativo desta primeira reunião e que foi pela quase maioria dos vereadores que ali externaram sua opinião, também considerado como muito importante, e que, a meu ver, em muito depende do apoio popular para sensibilizar nosso Executivo à efetivação desta indicação que lhe fiz.


Em minha indicação, solicitei o cumprimento da Lei no. 3.199/2004, que autorizou o Poder Executivo a instituir a gratuidade no transporte coletivo urbano e rurais para pessoas com idade acima de 60 (sessenta) anos no Município de Três Corações. CUMPRINDO O DISPOSTO NO ESTATUTO DO IDOSO.







O Estatuto do Idoso, em suas Disposições preliminares, nos diz em seu Art. 1º.: “É instituído o Estatuto do Idoso, destinado a regular os direitos assegurados às pessoas com idade igual ou superior a 60 (sessenta) anos.”


O mesmo Estatuto do Idoso, em seu Capítulo X, Art. 39, diz o seguinte: “Aos maiores de 65 (sessenta e cinco) anos fica assegurada a gratuidade dos transportes coletivos públicos urbanos e semi-urbanos, exceto nos serviços seletivos e especiais, quando prestados paralelamente aos serviços regulares.”

Mas, no seu Parágrafo 3º. diz: “No caso das pessoas compreendidas na faixa etária entre 60 (sessenta) e 65 (sessenta e cinco) anos, ficará a critério da legislação local dispor sobre as condições para exercício da gratuidade nos meios de transporte previstos no caput deste artigo.”

Em nossa legislação, há esta Lei de 2004, que pode ser lida abaixo em sua íntegra, autorizando o prefeito a adotar a gratuidade para todos com 60 (sessenta) anos ou mais.





Fomos, eu, a vereadora Edna Mafra e o vereador Ricardinho do Gás, à Trectur, empresa que tem a concessão deste serviço de transporte em nossa cidade. Conversamos com o Sr. Alessandro Lima, que nos recebeu atenciosamente e de forma muito respeitosa e interessada em nos esclarecer sobre como se dá o sistema de gratuidade nos seus coletivos. Entregamos à ele esta lei de 2004 e aguardamos (há quase um mês) seu parecer. Mas, ele nos confirmou que a gratuidade é assegurada, entre outras condições ainda pouco claras, àqueles que têm 65 (sessenta e cinco) anos ou mais.






Diante deste apelo popular e, como dito acima, da maioria dos vereadores que deram seu parecer, foi feita esta indicação ao Executivo, para que reveja, amparado na Lei, este critério de gratuidade. Em muito beneficiaria nosso povo, especialmente àqueles que dependem deste meio de transporte para sua locomoção.
Abaixo, cito o pronunciamento que fiz como justificativa a esta minha indicação.


“Tenho ouvido com freqüência que não precisamos de novas leis, mas de cumprir as já existentes. Tenho certeza que a força renovada dessa Câmara vai, neste momento, emprestar sua sensatez e poder para, junto comigo, solicitar ao nosso Executivo, consideração com o cumprimento desta lei que o autoriza, numa atitude de respeito aos idosos, a instituir a gratuidade para locomoverem-se por toda a cidade, sem terem que se sentir cerceados, já que a própria velhice já se encarrega disso, ou por não terem condições financeiras ou por terem que abdicar de empregar seus parcos recursos em outras causas próprias.
Freqüentemente, atendo pacientes na Colônia Santa Fé, que me pedem que lhes prescreva uma dosagem, número de comprimidos a serem aviados, pelo maior tempo possível antes de virem à próxima consulta, alegando não terem nem mesmo como se deslocarem até este local, queixando-se de não terem como pagar pelos ônibus que têm que pegar. Geralmente, os pacientes vêm acompanhados, o que os onera ainda mais. É compreensível que venham acompanhados, o paciente e seu cuidador. Por exemplo, duas pessoas se deslocando, do bairro da Cotia até a Colônia, pegando dois ônibus pelo menos, gastariam, ida e volta, em torno de vinte reais. Ficamos entre a cruz e a espada. Sem contar os casos agudos em que os pacientes precisam ser vistos mais amiúde, estes pacientes, portadores de quadros crônicos, necessitam ser reavaliados periodicamente.
Estou citando apenas um exemplo prático, vivido em minha clínica diária. Mas, muitos outros exemplos podem ser alencados para justificar nosso empenho em viabilizar, facilitar o acesso de nossa população ao seu destino desejado. Meios de transporte em muito facilitam a vida e, mais ainda, os coletivos, que viabilizam de forma mais econômica esse acesso. O uso dos transportes coletivos deve ser incentivado, inclusive por uma questão ambiental e de tráfego.
Se tal acesso é cerceado pela precariedade econômica de nosso povo em geral, que dirá para aqueles que têm muito limitado seus ganhos mensais, muitas vezes restritos à aposentadoria de um salário mínimo, com a qual têm que se virar para cobrir todas suas necessidades ao longo do mês.
Há pouco tempo, um senhor queixava-se a mim dizendo que, estando aposentado, ainda se sentia hábil e capaz de manter-se trabalhando. Não tendo perspectivas de emprego, decidiu se oferecer como voluntário. Desta forma, sentia-se mais vivo e podendo oferecer sua experiência de vida a algumas entidades. Mas, questionou-me: “eu já me dispus a ser voluntário, ainda vou ter que pagar por isso?”. Referia-se ao fato de ter que custear seu deslocamento de sua casa até o local onde se prestava como voluntário.
Nada mais justo que nos ocupemos das causas dos idosos, que num país como o nosso, adolescente por natureza, país em crescimento, não reconhece a vida que há na velhice, não oferecendo opções dignas de realização pessoal, quiçá de sobrevivência. Nossos velhos muitas vezes estão à míngua, vítimas do desamparo de suas famílias, vítimas do descaso do poder público. Políticas públicas que considerem esta realidade, procurando resgatar a dignidade do velho, precisam ser implementadas, e somos nós os primeiros responsáveis por isso.
O Estatuto do Idoso caracteriza o idoso como sendo aquele que possui sessenta anos ou mais. Não cinqüenta e nove ou sessenta e um: SESSENTA ANOS! Assim, em respeito à lei, nossa mobilização deve reconhecer as dificuldades do idoso e beneficiá-lo com esta promoção, a gratuidade nos meios de transportes coletivos municipais que estejam sob contrato com nossa administração municipal.
É uma questão de justiça e respeito a quem, precisando se deslocar, já não tem mais a mesma destreza de antes!”


VAMOS NOS MOBILIZAR PARA OFERECER AOS NOSSOS IDOSOS ESTE BENEFÍCIO! COMPARTILHE ESSA IDEIA! ELA SOMENTE PODERÁ SER UMA REALIDADE SE FOR UMA REAL NECESSIDADE DE NOSSA CIDADE!