Total de visualizações de página

domingo, 23 de março de 2014

23/03/2014
VICTOR CUNHA: MÚSICA, ALEGRIA e AMIZADE


TRÊS CORAÇÕES ESTÁ DE LUTO!

Alguns momentos marcantes que percebi no enterro do Sr. Victor Cunha, que quero deixar registrado aqui:

A homilia proferida de forma emocionada pelo nosso querido Pe. César, que reuniu em três palavras o que lhe representava o Victor: música, alegria e amizade. E, agradecendo sua dedicação à igreja, nestes últimos anos, falou-nos de sua capacidade de transitar, com sua música, entre a VELHA GUARDA e a JOVEM GUARDA. Inclusive, revelou um diálogo confessional que teve com D. Terezinha, esposa do Victor, pouco antes dela falecer: disse que, mesmo sendo ele o nosso representante maior da música, nunca havia sido convidado a tocar em uma igreja, o que deflagrou o convite e o trabalho primoroso que ele enveredou por estes anos com este grupo que hoje lhe prestava esta última homenagem.

Outro momento, ainda na igreja matriz, foi a leitura de uma carta ao PAPAI VICTOR, lida por seu genro Eugênio, na qual ele falava do quanto Victor era amado por todos de sua família, e imaginou nosso músico chegando ao céu para reunir-se com seus companheiros de VELHA GUARDA, que reclamando seu atraso, iriam agora colorir o céu com suas notas musicais.

Pouco depois, à porta do cemitério, Kuid, companheiro de presidência no Atlético de Victor, falou-nos de sua última lição: “os jogadores têm que colocar o coração na ponta da chuteira!”.

E, mais música, ainda, à entrada do cemitério, alguns músicos parceiros de Victor, também emocionaram quem ali estava quando tocaram “Carinhoso”, “Pedacinho do Céu” e, por fim, o “Hino de Três Corações”: o pistom de Zé Edson naquele fim de tarde nublado, logo fez o céu chorar sobre nossa cidade.



INSTITUIÇÃO DE AMPARO ARCA DE NOÉ


PROJETOS SOCIAIS DA ARCA DE NOÉ PRECISAM DE NOSSA AJUDA



A ARCA DE NOÉ iniciou, efetivamente, seus trabalhos em nossa cidade, em 1987, primeiramente como uma creche, e, quando as creches passaram a ser atribuição das secretarias de educação, em sintonia com as demandas da cidade, o grupo que estava à sua frente, optou por passar a prestar serviços assistenciais às nossas gestantes – PROJETO CASULO. E o fazem de diversas formas, provendo com enxovais e ministrando palestras com diversos profissionais.

Em seguida, percebendo que os bebês que ali nasciam também tinham necessidade de amparo, criaram o PROJETO BEIJA-FLOR, que se propõe a acompanhar estes recém-nascidos até que completem um ano de idade. Há também o PROJETO BORBOLETA, que tem à frente uma psicóloga, destinado a acompanhar os problemas pós-parto; e o PROJETO CONVIVER, que acompanha jovens escolares, disponibilizando atividades culturais a estes jovens.

Alguns profissionais – enfermagem, médico, assistente social, psicólogo – prestam ali serviços voluntários. Mas, a ARCA DE NOÉ, para dar continuidade a estes projetos, depende de verbas assistenciais que estão lhes faltando no momento e colocando em risco sua continuidade.

Até a poucos meses, o prédio onde estão alocados – propriedade do CENTRO ESPÍRITA CAPITÃO VENDRAMINI – estava em parte alugado para a prefeitura, que mantinha ali o CAP (Centro de Apoio Pedagógico aos Deficientes Visuais). Na renovação de seu contrato de locação, tendo tido custos com algumas mudanças estruturais que lhes foram exigidas, e sem aviso anterior, conforme me relatou sua presidente, Sra. Maria José M. C. de Albuquerque, e a assistente social Gisele Bamenga de Freitas, o contrato não foi renovado.

Então, além destes custos de última hora, além de perderem a verba que tinham, segura pelo aluguel, eles apenas contam com a subvenção municipal de R$ 3.175,00/mês, e com a ajuda que o Centro Espírita, seus freqüentadores, lhes provê.

Maria José, que há tantos anos é sinônimo de SOLIDARIEDADE para com o próximo, faz seu apelo a quem puder mais contribuir para a manutenção da ARCA DE NOÉ e seus projetos extremamente relevantes para nossa comunidade.

Para quem quiser e puder ajudar, a conta bancária da INSTITUIÇÃO DE AMPARO ARCA DE NOÉ, no Banco do Brasil, Agência 0012-4, é a de número 41630-4. O email para contato é iarcadenoe@gmail.com, e o telefone é (35) 3234.1762.



REUNIÃO DE ENTIDADES ASSISTENCIAIS


ENTIDADES AGUARDAM VERBA DA JUSTIÇA DO TRABALHO PARA EXECUÇÃO DE PROJETOS

Participei de uma reunião com algumas Entidades Assistenciais de nossa cidade – APAE, LAR FABIANO DE CRISTO, INSTITUIÇÃO DE AMPARO ARCA DE NOÉ e AFE – quando discutimos a elaboração de um documento único, que congregue os diversos projetos e seus custos atualizados, anteriormente preparados por estas entidades, mais o Ancianato São Vicente de Paulo, para ser entregue à Justiça do Trabalho, conforme nos solicitou em uma audiência recentemente realizada ali.

Esta reunião contou com a participação da advogada Dra. Alessana Ribeiro, que estava presente à audiência, e solidarizando-se com estas entidades, dispôs-se a oferecer seus serviços para a confecção deste documento. Alessana descreveu o que deve ser feito por cada entidade e em breve irá protocolizar a redação final deste documento/solicitação, na vara da Justiça do Trabalho em nossa cidade.

Gente de bem que fala e faz pela população mais carente de nossa cidade!



LAR ANJO DA GUARDA


MARTA, PRESIDENTE DA INSTITUIÇÃO, PARTICIPA DE NOSSA REUNIÃO DE COMISSÕES

Há alguns dias a presidente do LAR ANJO DA GUARDA, Sra. Marta, me telefonou dizendo estarem em situação de risco, por algumas outras situações ali ocorridas e que demandam aporte financeiro de verbas para sua solução. Convidei-a para estar conosco em nossa Reunião de Comissões, quando poderia dividir seu problema com todos os vereadores.

Na última quarta, Marta, acompanhada de outros voluntários que militam no Lar, transmitiu suas dificuldades – um “aperto desesperador”, “a nossa receita está muito menor que as despesas”, “não tenho dinheiro pra pagar funcionário, nem pra mandar embora”, “estou pedindo socorro pra não fechar” – a todos nós vereadores presentes à reunião. Algumas idéias foram dadas para tentar enfrentar este difícil momento.


Para quem não sabe, o LAR ANJO DA GUARDA abriga crianças, de 0 a 6 anos de idade, que se encontram em situação de risco. É imperioso que se faça uma visita ao Lar para se ter idéia do que isto significa. É impossível não se emocionar com aquelas crianças já carregadas de histórias que mesmo os adultos têm dificuldade de suportar.

Em nossa reunião de Comissões, estávamos, antes de ouvir a Marta, discutindo uma cessão de uso e posterior doação de terreno a duas empresas de nossa cidade. Então, tive a feliz idéia de propor que tal doação, que já estava praticamente decidida, somente fosse realizada se também, estas empresas, em contrapartida, oferecessem ajuda, previamente acertada, em um ‘acordo de cavalheiros’, às nossas entidades assistenciais, inclusive ao LAR ANJO DA GUARDA.

Todos os vereadores presentes abraçaram esta causa, empolgados com esta possível solução, inclusive aguardando estudo da legalidade de sua efetivação, e esperamos que assim, possamos fazer a diferença, por nossas decisões, na vida de algumas de nossas entidades assistenciais.

Bem, além disso, quem quiser e puder ajudar ao LAR ANJO DA GUARDA, sua conta no Banco do Brasil, agência 0012-4, é a de número 17.817-9. E o telefone para contato é (35) 3232.9690.



MOVIMENTO TR3S CORAÇÕES SEM DEGRAUS


TRABALHAMOS EMPENHADOS POR UMA CULTURA DE DIREITOS HUMANOS

Em nossa reunião nesta semana, discutimos algumas situações públicas que envolvem questões de direitos humanos de nossa cidade.

Debatemos a situação de algumas entidades assistenciais, como o LAR ANJO DA GUARDA, e a situação do Sr. “Galo”, pai da advogada Dra. Alessana Ribeiro, que foi, segundo ela nos relatou, desconsiderado em seus direitos e humilhado na forma de abordagem que recebeu por parte de funcionários de nossa prefeitura – conduzido de forma coercitiva por policiais –  quando tentava receber seu pagamento por um imóvel alugado à prefeitura e que há três meses está sem receber.

Falamos sobre a viagem que faríamos a São Lourenço, para participar do Seminário “Acessibilidade em Cidades Turísticas”, com apoio da TRECTUR.

Também, esclarecemos sobre algumas situações levantadas em reuniões anteriores, como a relação BPC (benefício de prestação continuada) e Emprego; além de também discutirmos o Passe Livre, municipal, dentro do Estado e além deste, para as pessoas com deficiências.

Falei ainda da parceria que estamos iniciando com a Associação Comercial de nossa cidade, para o projeto de educação que estamos implementando em nossa Universidade.

E, por fim, decidimos elaborar um projeto, assim que possível, para viabilizar o transporte porta-a-porta em nosso município.

Nossa próxima reunião será na próxima quarta, 26/03, às 19h, na Escola do Legislativo. Compareça e divida conosco a responsabilidade por construir uma cultura pelos direitos humanos das pessoas com deficiências!



SEMINÁRIO SOBRE ACESSIBILIDADE EM CIDADES TURÍSTICAS


SÃO LOURENÇO SEDIA SEGUNDO ENCONTRO, PROMOVIDO PELA ONG “SEM LIMITES”

Com uma programação muito rica, sob a liderança do vereador William Rogério de Souza, São Lourenço reuniu autoridades no tema ACESSIBILIDADE para realizar este seminário, que discutiu, entre outros, os seguintes assuntos: Turismo Acessível, Convenção da ONU na Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Bullying na Escola e Inclusão Esportiva, e Educação Inclusiva.

William, que luta para tornar São Lourenço “a cidade turística mais acessível do país”, falou de suas inúmeras ações em favor desta causa que realizou em apenas um ano de mandato. Kátia Ferraz falou sobre o conceito de Acessibilidade e da diferença entre “Inserção e Inclusão”. Ana Lúcia de Oliveira falou sobre a necessidade de construir uma cultura que enfrente as “barreiras atitudinais”, estas as principais limitações à Acessibilidade. O professor Eduardo, numa palestra criativa, demarcou as diferenças entre o modelo médico e o modelo social de considerar as deficiências. E, numa empolgante explanação, o Sr. José Fernandes, demonstrou como é mais produtivo investir em Acessibilidade, nos hotéis de sua propriedade, por exemplo, que deixar de fazê-lo.


O Movimento Três Corações sem Degraus organizou uma caravana para participar deste Seminário. Foram conosco alunos do curso de Serviço Social da UNINCOR, alunos da Escola Godofredo Rangel e as professoras Lomena e Rosa. Fica aqui nosso profundo agradecimento à TRECTUR, empresa de ônibus que nos transportou até o evento.



FUTEBOL DE DEFICIENTES VISUAIS


O ESPORTE COMO FORMA DE INCLUSÃO

Ainda dentro da programação do Seminário ACESSIBILIDADE EM CIDADES TURÍSTICAS, foi realizado um jogo de futebol, onde todos os jogadores, com exceção dos goleiros eram deficientes visuais.

Em São Paulo, existe a APADV – Associação dos Pais e Amigos dos Deficientes Visuais, que, entre suas atividades, divulga a inclusão social através do esporte. Desta feita, trouxeram a São Lourenço seu time de futebol para uma exibição de como praticam este esporte.


Há regras específicas, como a extinção da lateral (ou seja, não se conta saída de bola pela lateral), e uma bola especial, que tem guizos em seu interior. Os deficientes visuais, então, se guiam pelo barulho da bola e por indicações que uns fazem aos outros quando vão se aproximar da bola, conforme me relatou Alexandro Lima, seu principal jogador.

Durante este evento, conversei longamente com o representante do Ministério do Turismo, Sr. Wilken Souto, sobre ações de seu ministério pela Acessibilidade, quando também o convidei para estar conosco, no Movimento Três Corações sem Degraus, e ele prontamente aceitou, em data ainda a ser confirmada.



PADARIA SÃO THOMÉ, 60 anos!


Sr. OSVALDO É “PÃO PRA TODA OBRA”!

É preciso ver pra crer! Em tempos onde imperam a superficialidade dos investimentos e a fluidez dos vínculos, o Sr. Osvaldo Alves Pereira, 82 anos, conseguiu construir e manter com sólida altivez seu comércio que é referência em nossa cidade.


Hoje, fui convidado por ele para comemorarmos o aniversário de 60 anos de sua padaria, com direito a bolo e velas e, principalmente, seu sorriso amigo, redescoberto depois de algum tempo em que viveu a importante perda de seu filho, que o acabrunhou e quase o fez desistir da vida.

Juntos, contamos nos dedos de uma mão, os poucos locais de nossa cidade que ainda sobrevivem tanto tempo.

Como esperado, Sr. Osvaldo tem muitas histórias para contar, inclusive como vereador que foi por três legislaturas, mas, sobretudo, é através de seus filhos, netos e bisnetos que continua a reescrever a história de nossa cidade.

Parabéns Sr. Osvaldo! Parabéns à família São Thomé!



SESSÃO ORDINÁRIA

Em 17/03/2014, realizamos nossa 7ª SESSÃO ORDINÁRIA

EM 2ª E ÚLTIMA DISCUSSÃO E VOTAÇÃO

1.       Projeto de lei complementar que altera o dispositivo na Lei Complementar nº 282/2011, que "Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos Servidores Públicos do Município de Três Corações, e dá outras providências”. (gratificação de produtividade de 30%)

2.       Projeto de lei complementar que altera o dispositivo na Lei Complementar nº 282/2011, que "Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos Servidores Públicos do Município de Três Corações, e dá outras providências. (altera o Anexo IV da LC nº 282/211)

3.       Projeto de lei complementar que altera o dispositivo na Lei Complementar nº 283/2011, que "Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração dos Profissionais da Saúde do Município de Três Corações, e dá outras providências.

4.       Projeto de lei complementar que acrescenta o inciso VIII e IX ao artigo 177 da Lei Complementar nº 284, de 26/08/2011, que "Dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos dos Profissionais da Educação do Município de Três Corações, e dá outras providências.

5.       Projeto de lei ordinária que proíbe o uso de máscaras ou qualquer outra forma de ocultar o rosto em manifestações e dá outras providências.


EM 1ª DISCUSSÃO E VOTAÇÃO

1.       Projeto de lei ordinária que autoriza a concessão de Contribuição Corrente à ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DE RADIODIFUSÃO DA CIDADE DE TRÊS CORAÇÕES – CONEXÃO FM, no exercício financeiro de 2014.

Este projeto foi aprovado por seis votos contra dois, sendo que um dos vereadores estava ausente da sessão e o presidente em exercício não tem direito a voto.

Para votar em contrário, fiz a seguinte preleção:


“Naturalmente todos têm o direito de mudar de opinião. E, subentende-se, têm também o compromisso de informar a mudança de opinião à comunidade.

Pensando sob o ponto de vista de políticas públicas de comunicação governamental, falta a esta proposta uma finalidade e contexto: é um pedido de subvenção que acompanha um descritivo de prestação direta de serviços, e uma coisa não implica a outra. Doação ou contratação? Como aprovar sem sequer ter clareza a esse respeito? A proposta também não diz nada do contexto radiofônico tricordiano, o que poderia justificar a opção por este ou aquele veículo. A composição dos documentos não sinaliza preocupação alguma em convencer vereadores e sociedade da pertinência governamental ou da necessidade social do que se propõe. Nos documentos, objetos do nosso trabalho de fiscalização, nada há que concorra para nos convencer da pertinência desta proposta: e é esta cultura o que deve nos preocupar, a nós vereadores, que temos a missão de contribuir fiscalizando.    

Este é um tema de comunicação governamental que, curiosamente, entrou, saiu e voltou à pauta sem que nenhum vereador lhe desse tratamento público. Fiz isso na internet, através de post´s em redes sociais e do meu blog, e a informação tornou-se um “viral”, mais de 50 compartilhamentos foram feitos, todos eles em gesto de desaprovação, dando força para a minha proposta. Vejo pessoas sentadas aqui acompanhando o debate e sinto-me feliz por ter contribuído para a abertura das portas desta Casa Legislativa para elas. Findada a sessão dialogarei com todas elas mais uma vez sobre este episódio. Interessa-me a participação popular!

 É preciso considerar a colaboração do próprio prefeito na construção da postura que ora apresento. Recordo-me da campanha eleitoral de 2012, quando ele exibiu, exaustivamente, uma nota fiscal de contratação de serviço de publicidade dizendo que aquele não era um tratamento adequado para o dinheiro público. Dois anos passados e a sua equipe (que é, basicamente, a mesma da campanha, por sinal) elabora uma proposta com os mesmos defeitos. É em respeito às preocupações que ele tinha em campanha que desaprovo proposição de gestão, para protegê-lo do contraditório.

Há ainda a questão das prioridades: muitas entidades assistenciais de nossa cidade estão passando por dificuldades. Hoje mesmo, duas delas me relataram que ainda não receberam neste ano nenhuma parcela da subvenção a que têm direito. Há também a situação de risco que passa o Lar Anjo da Guarda, inclusive convidei sua presidente, a Sra. Marta Porcaro, para estar conosco em nossa próxima reunião de Comissões, para relatar suas dificuldades.

E, sobretudo, me pergunto: como pode um projeto que foi há cerca de um mês desaprovado, voltar agora novamente, já praticamente aprovado, sendo os dois de semelhante teor? Isto me parece clara expressão da perversidade do jogo político partidário. É por estas razões que voto, novamente, em contrário à aprovação deste projeto!”


2.       Projeto de lei ordinária que dá nova redação ao artigo 5º da Lei nº. 3.683, de 18 de agosto de 2011, que "Dispõe sobre a Criação do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional e dá outras providências".

3.       Projeto de lei complementar que dispõe sobre a autorização para transferência de área de terreno da municipalidade para a empresa PRENSITEC PRODUTOS INDUSTRIAIS LTDA, portadora do CNPJ nº 03.759.577/0001-70 e dá outras providências.

4.       Projeto de lei ordinária que Projeto de lei que Revoga a Lei nº 3.334/2006, que revogou o Art. 6º da Lei nº 3.247/05, de 18 de julho de 2005, que dispõe sobre a obrigatoriedade do atendimento de clientes, em tempo razoável, nos Estabelecimentos Bancários do Município de Três Corações.

Este projeto de lei deu entrada para sua primeira votação, tendo como postulantes eu e o vereador Fabiano Barbosa. Sensibilizados pela forma de atendimento dos bancos aos seus clientes, estamos propondo a revogação de outra revogação anterior que impedia esta lei de entrar em vigor.

A lei no. 3.247/2005, diz, em parte, o seguinte em seu corpo:

“Art. 1º - Ficam os Estabelecimentos Bancários que operam no município a atender obrigados a atender cada cliente no prazo máximo de 15 (quinze) minutos, contados a partir do momento em que ele tenha entrado na fila de atendimento.

§ 1º - O prazo estipulado no “caput” deste artigo, será de 30 (trinta) minutos, nas seguintes condições:

A – Nos dias de pagamento do funcionalismo público municipal, estadual e federal;

B – Nas vésperas e após feriados prolongados.”

Bem, ainda diz que as denúncias devem ser feitas ao Ministério Público e ao PROCOM do município, para posterior averiguação e aplicação de penas.

Também, a comprovação do tempo de espera, será feita pelo “bilhete de senha de atendimento”, onde deverá constar o horário de recebimento da senha e o horário de atendimento.


INDICAÇÕES

1.       À Secretaria Municipal de Saúde para que esclareça a este gabinete, ao Conselho Municipal de Saúde, e aos usuários do sistema público de saúde do município, sobre a falta de medicamentos na Farmácia Popular Municipal. Na comunicação, esclarecer quais são estratégias e técnicas empregadas na manutenção dos estoques da Farmácia Popular e informar a legislação pertinente às responsabilidades e direitos do Município e cidadãos nesta questão.

Justificativa: há um desejo por parte dos usuários da farmácia do vereador abaixo assinado em compreender as razões da falta sistemática de medicamentos de uso comum na Farmácia Popular. O intuito desta indicação é esclarecer obviedades procedimentais e responsabilidades administrativas para que não seja necessário tratar a questão, que é recorrente, com expedientes menos amigáveis, como a convocação formal de responsáveis e a comunicação do caso ao Ministério Público.

2.       À Secretaria Municipal de Educação para que retome o diálogo com a direção geral da Escola Estadual Godofredo Rangel no interesse de reativar naquela instituição o serviço de saúde bucal.

Justificativa: em palestra ministrada durante evento promovido pelo vereador abaixo assinado, a dentista responsável pela organização da saúde bucal pública tricordiana, Dra. Simone Cerqueira, informou que a referida escola é a única na rede escolar pública, municipal e estadual, a não dispor do serviço, em razão de um problema de espaço físico não resolvido, sobretudo, por dificuldades de diálogo.

3.       À Secretaria Municipal de Saúde, para que, através das equipes do ‘PSF, acompanhem o caso da Sra. Perpétua Maria Cornélio, que precisa substituir a cadeira de rodas do seu filho, Eduardo Antônio Cornélio, residente à Rua do Agricultor, 6, Jardim Paraíso; bem como, acompanhem semelhante caso, da Sra. Nadir Jesus Campos Francisco, que também precisa nova cadeira de rodas para seu filho, Samuel Campos Francisco, residentes à Rua C, 187, Jardim Esperança.

Justificativa: as cidadãs supracitadas aderiram ao grupo aberto ‘Três Corações sem Degraus’ em busca de interlocução e acompanhamento do processo de substituição da cadeira de rodas dos seus filhos, dado que elas não têm conseguido o serviço e estejam com dificuldades de compreensão do processo.

4.       Requerimento à Mesa Diretora: o vereador abaixo assinado reitera o pedido feito na primeira sessão legislativa deste ano para que seja informado ao seu gabinete quais proposições legislativas suas e de seus colegas aguardam tramitação, bem como a justificativa regimental pela situação.

Justificativa: algumas pautas ficaram sem tramitação no ano passado, sem que estejam claros os critérios e atribuições regimentais pela situação.  

5.       Requerimento à Mesa Diretora, para que informe ao gabinete do vereador abaixo assinado, conforme os prazos regimentais pertinentes, quais os critérios e formalidades necessárias ao uso da assessoria de comunicação da Câmara Municipal pelos gabinetes, e quais as obrigações de rotina daquele setor para com os vereadores.

Justificativa: o único serviço prestado por aquele setor ao gabinete do vereador abaixo assinado é a publicação de releases enviados pelo gabinete para a assessoria. No segundo ano de trabalho desta legislatura, não há registro de cobertura espontânea daquele departamento para as atividades do gabinete do vereador abaixo assinado, nem clareza a respeito dos compromissos comuns daquele departamento para com todos os gabinetes – uma situação que colabora centralmente para a configuração de suspeitas de uso partidário dos serviços internos da Câmara Municipal.

6.       Moção de Pesar à família do Sr. Carlito Branquinho, com anterior sugestão para que esta moção, por ter sido o Sr. Carlito um vereador, fosse uma proposição de toda a Câmara e não apenas de um ou outro vereador.

7.       Moção de Aplausos, pelo brilhantismo da apresentação à nossa comunidade sobre temas de “SAÚDE BUCAL”, os odontólogos Simone Cerqueira Ferreira e Matheus Henrique Lopes Dominguete.



PALAVRA FRANCA



“Cerca de 100 pessoas estiveram na Escola do Legislativo; entre elas, futuros “cuidadores” de idosos e deficientes da região, estudantes de magistério - algumas delas serão contratadas pela prefeitura para as creches que estão em construção e que deverão ser construídas -, e alunos do primeiro período de odontologia da Unincor, além de famílias, professores, psicólogos e outros profissionais; eles assistiram a uma formidável apresentação da estruturação, nos últimos 15 anos, do sistema municipal de saúde bucal, através da palestra da Profa. Simone, enquanto Dr. Matheus Henrique trouxe informações preciosas sobre câncer bucal e cuidados odontológicos para a velhice.

No interesse da saúde pública, a palestra da profa. Simone foi especialmente importante porque deu a ver com absoluta clareza como se estrutura o atendimento público em nosso município, mostrando como a rede funciona desde a prevenção até o tratamento de casos raros - o que conecta o serviço público ao trabalho do programa de mestrado em Odontologia mantido pela Unincor (em que a profa. Simone leciona). Não por acaso, o programa de pós em clínica odontológica da universidade tem a mesma idade que a estruturação atual do serviço municipal de saúde pública. Através do convênio entre a municipalidade e a universidade, problemas odontológicos graves e raros da população tricordiana foram solucionados e viraram estudos de caso premiados e publicados em revistas nacionais e internacionais da área odontológica. Foi um evento riquíssimo em sugestões de pactuação entre educação superior e representação governamental para a elaboração de serviços públicos de referência. O evento tem cumprido e extrapolando o seu papel social e político, reitero o convite aos colegas vereadores para que participem.



TRIBUNA LIVRE



Nesta semana, o presidente da Associação de Moradores do RESIDENCIAL MORADA DO SOL, Sr. Alessandro Pompeu Coelho, ocupou nossa tribuna, para falar sobre o trabalho de sua Associação frente às necessidades de seu bairro, elencando solicitações que fizeram e os resultados destas. Agradeceram a atenção que têm recebido por parte dos vereadores, e questionaram a qualidade dos serviços ali prestados na execução de obras de infra-estrutura. Também, questionaram sobre a instalação de algumas empresas no bairro, solicitando que sempre que algo desse porte, que diz respeito à seu bairro, entrasse em nossa pauta de discussões, que esta Associação fosse ouvida.


Nenhum comentário:

Postar um comentário