Total de visualizações de página

domingo, 2 de novembro de 2014

02/11/2014
PROBLEMA COM DROGAS?


COMUNIDADES TERAPÊUTICAS OCUPAM O LUGAR VAZIO DEIXADO PELO ESTADO NA SAÚDE PÚBLICA

Freqüentemente avalio pacientes com história de dependência química (álcool e drogas) que concluo necessitarem iniciar seu tratamento sob regime de internação em serviço especializado. Também, não é incomum que alguns destes pacientes ou seus familiares já me procurem solicitando encaminhamento à internação.

Pois é! Em tempos de debates sobre internamento compulsório, à revelia da vontade do paciente, vejo em minha experiência, ser muito mais comum outra questão: mesmo diante da necessidade e do desejo de internação, são muito poucos os locais realmente adequados para esta abordagem!

Entenda, considero “realmente adequados” os locais que contam com equipe técnica multidisciplinar disponível integralmente para os pacientes e suas famílias, e que constroem para cada um destes pacientes um projeto terapêutico individualizado.

Tenho longa experiência nessa área e já trabalhei em locais constituídos nestes moldes, portanto, sinto-me à vontade para qualquer avaliação neste sentido. Se você precisar internar seu filho, seu irmão, seu pai, ou qualquer outro em uma clínica “realmente adequada” para dependentes químicos, vai ter muita dificuldade, a não ser que você disponha de recursos financeiros, relativamente vultosos, para fazê-lo (alguns serviços chegam a cobrar algo em torno de vinte a trinta mil reais ao mês), ou que esteja em dia com seu plano de saúde e este contenha em seu rol terapêutico o custeio deste tipo de internação (geralmente autorizam apenas um determinado período).

Em minha cidade, como em grande parte do país, desenvolvem-se casas de acolhimento a estes dependentes (PROJETO VIDA, PROJETO BETEL, COMUNIDADE ÁGAPE), que fazem um trabalho de recuperação que considero como muito importante, especialmente diante da carência que temos destes serviços. Praticamente, todas elas se valem do tripé “espiritualidade – laborterapia - convivência”, para seu trabalho. Geralmente, são constituídas por pessoas abnegadas, que amam o que fazem, ou por ex-dependentes e, vez ou outra, contam com a ajuda, muitas vezes voluntária, de algum profissional de saúde. Particularmente, naquelas cidades em que foi implantado o CAPS-AD (Centro de Atenção Psicossocial - Álcool e Drogas), estes oferecem retaguarda, pelo menos médica e psicológica, a estas casas. Muitas delas não cobram de seus internos para interná-los, outras cobram quantias mínimas diante dos custos, e outras cobram um pouco mais. Algumas têm subvenção oficial, e quase todas sobrevivem à custa de doações voluntárias e da parceria com algumas empresas.

Vale lembrar que os custos de tais tratamentos, geralmente longos, se ampliam pela saída do mercado de trabalho destes internos (muitos são arrimos de família e deixam de trabalhar), e também pelos gastos extras com viagens, compra de medicamentos, psicoterapias, etc.

Como estou dentro do negócio, noto com relativa clareza, a ausência quase completa do Estado a oferecer oportunidades de tratamento a seus cidadãos. Contam-se nos dedos os poucos serviços públicos de qualidade em todo o país. Entendo que esta ausência estatal reflete a ausência de vínculos familiares suficientemente fortes vivenciadas pelos usuários compulsivos de drogas.

Eu mesmo já apresentei um projeto ao Estado, para constituição de uma unidade de tratamento a dependentes químicos em nossa cidade, mas não recebi resposta à minha solicitação.

Bem, nesta semana, voltei a um destes locais para ver o trabalho que esta sendo feito ali: a FAZENDA da ESPERANÇA (http://www.fazenda.org.br/), que visitei fica no município de Pouso Alegre, e é uma das dezenas de ‘fazendas’ que atuam como ‘comunidades terapêuticas’ na recuperação de dependentes químicos.

A Fazenda, fundada por um padre, tem sua orientação espiritual no catolicismo (por exemplo, ali é celebrada, acho que semanalmente, a missa). No momento em que os visitei contavam com 16 internos, todos envolvidos em atividades rurais, horta, produção de peixes e de doce de leite (com leite de suas próprias vacas), conserto de cercas, etc., e muita oração! Ali não é permitido, por exemplo, nem telefone e nem televisão (somente para assistir a jogos). Não há médico, psicólogo, assistente social, terapeuta ocupacional, enfermeiro ou educador físico. São, como de hábito, ex-dependentes que orientam as atividades e todo o percurso do internamento. Regularmente eles se reúnem em grupos de auto-ajuda, e discutem entre eles seus problemas pessoais. Há um custo de um salário mínimo ao mês (sendo que à internação, o paciente deve depositar outro tanto), mas todo esse custo pode ser reconsiderado após avaliação da situação financeira da família do paciente. O tempo previsto de internação é de um ano.

Algo muito curioso desta Fazenda: o local onde se situa (muito amplo e bonito!), era propriedade de um grande traficante (Abadia), que tendo sido confiscada pela polícia federal após a prisão de seu proprietário, foi adquirida pela Fazenda da Esperança.

Assim, com este relato, espero ter compartilhado um pouco dessa realidade que quase diariamente vivenciamos. É para refletir e, se puder enriquecer o debate.





SEMINÁRIO DISCUTE ESTIAGEM DE ÁGUA


“EU FICAVA COM TORCICOLO E REZANDO!”



A questão da estiagem de água tem estado na pauta de mais de uma centena de cidades do sudeste, inclusive na semana anterior eu fiz um Requerimento à Câmara para que realizássemos uma Audiência Pública para discutirmos com a população este tema. Mas, já nesta semana, começamos a discuti-lo em um Seminário que aconteceu na Escola do Legislativo, por iniciativa da Prefeitura Municipal.

Iniciamos com o Secretário de Comunicação Átila mostrando fotos da cidade, e um vídeo da EPTV alusivo ao tema, que atestam essa preocupação, seguido pelo Secretário de Meio Ambiente Nelson, que explicou-nos conceitos muito importantes: “estamos passando por um período de estiagem e não de seca”; e falou sobre a ocorrência de semelhantes fenômenos a cada 87 anos, sendo que o atual não pode ser previamente anunciado pela imprecisão dos sistemas de medição a nível nacional; e ainda falou: “temos que armazenar o máximo possível de água em nossa bacia hidrográfica!”. Lembrou também a situação de aproximadamente 400 famílias de nossa zona rural, para as quais a Prefeitura está tendo que abastecer com água.

Flávio, diretor da COPASA, conclamou à população para fazer um uso racional das águas, lembrando que “as previsões para 2015 são parecidas com as de 2014!”.

Então, o Secretário de Governo Ulisses, lembrando que em outubro deste ano foi decretado “estado de emergência” em nossa cidade, elencou medidas possíveis que poderão ser adotadas desde então:


1.   Monitoramento dos Reservatórios
2.   Criação de Reservatórios de Reserva-Técnica
3.   Criação do serviço de Fiscais de Rua
4.   Telefone 0800 para receber denúncias e sugestões
5.   Incrementar economia nos prédios públicos
6.   Utilização de carro de som para conscientização
7.   Aquisição de caminhões-pipa
8.   Rodízio ou racionamento no abastecimento de água
9.   Desconto nas contas de quem reduzir o consumo
10.                Aplicação de multa para quem cometer abuso

Em seguida, leu uma carta que havia encaminhado ao Prefeito, o aluno Patrick, da Escola Municipal Maria Evani, que foi considerado pela Prefeitura “o embaixador da água”.

Aberto ao debate, algumas colocações relevantes foram da professora Joana que contextualizou o problema: “estamos falando de falta de água em um sistema de sustentabilidade econômica, queremos ações emergenciais que dêem um retorno rápido!”; e da ambientalista Ângela que discutiu as medidas propostas e fez outras sugestões como limpeza do rio; replantio da mata ciliar; 0800 para torneira pingando (com oferecimento de bombeiros hidráulicos para conserto); campanha contra incêndios; abertura de novos poços artesianos, e ainda atestou: “carro sujo é sinal de pessoa consciente!”.

Bem, esta é uma realidade que precisamos enfrentar unidos e conscientes de nossa responsabilidade. O debate só começou!







1.   Selfies da Semana



1.   Com a Dra. Cláudia: quando ela sugeriu a constituição de um serviço de voluntariado no município, como ela presenciou em outros países que visitou, especialmente voltado às pessoas idosas, experientes e disponíveis, para prestarem serviços públicos.

Em nossa cidade já temos uma Lei, datada de 2010, que prevê o voluntariado, mas voltado às esferas assistencialistas da comunidade. Quanto ao serviço de voluntário para a gestão municipal, é um tema que depende de novos estudos, que já fazendo.

2.   Com Silvana: quando estive na Escola Estadual Luíza Gomes Lemos, participando com uma palestra, dentro da programação da semana do projeto “Educação para a Vida”.

3.   Com o Padre Pepê: quando discutimos soluções para algumas necessidades de sua Comunidade Magnificat, que já é considerada de Utilidade Pública em nossa cidade.

4.   Com o Dr. Luiz Carlos: quando o convidei para estar conosco na próxima programação do Projeto Educação + Saúde, no próximo ano. Sendo ele infectologista, poderia falar sobre diversos temas nesta área.

Sobre qual tema você gostaria de ouvir o Dr. Luiz Carlos falar?


2.   Nesta semana aconteceu a posse da nova Presidente da Associação Médica de Três Corações, que já tive a honra de presidir anteriormente. Assumiu o posto a médica ginecologista Dra. Vanice Ramos Fernandes, que inclusive já foi nossa Secretária Municipal de Saúde, e deixou o cargo o Dr. Walter Walim.

A Dra. Vanice, nossa 13ª Presidente, em seu discurso conclamou toda nossa classe a nos comprometermos com ações com o fim de revitalizarmos nossa Associação Médica



3.   Osmar Santos será o paraninfo na formatura da 1ª turma do curso livre de formação profissional para pessoas com deficiências da UNAPED/ UNINCOR, que acontecerá no próximo dia 03/12, em nossa Universidade.

A UNAPED (Universidade Aberta da Pessoa com Deficiência) é um projeto concebido e realizado pelo Movimento Três Corações sem Degraus, com patrocínio e certificação da UNINCOR, e se destina à capacitação profissional de pessoas com deficiências.



4.   A Câmara Municipal informa que, por motivo de força maior, foi adiada a confecção gratuita de Carteiras de Identidade, conforme eu havia anunciado aqui.


5.   Em nossa Reunião de Comissões desta semana, discutimos dois importantes projetos: o primeiro que autoriza a contribuição à Associação Pró-Esporte e Recreação, para revitalizar o Vôlei Tricordiano, permitindo que uma equipe municipal possa participar do Campeonato da Super Liga B.

O outro projeto diz respeito à revogação de uma Lei anteriormente aprovada em nossa Câmara, que autoriza a transferência dos honorários de sucumbência à Procuradoria do Município. Esta revogação é fruto de uma representação que eu fiz ao Ministério Público, por considerar inconstitucional aquela transferência.






MOVIMENTO TR3S CORAÇÕES SEM DEGRAUS



“AS PESSOAS PRECISAM IR LÁ, AÍ VÃO DAR MAIS VALOR NA PRÓPRIA VIDA!”

Começamos nossa reunião semanal conversando sobre a formatura da primeira turma da UNAPED (Universidade Aberta da Pessoa com Deficiência), que deverá acontecer no próximo dia 03/12 (Dia Internacional da Pessoa com Deficiência), na UNINCOR, nossa parceira neste projeto.

Convidamos para ser o homenageado, como Paraninfo, o Sr. Osmar Santos, importante representante da esfera jornalística do esporte nacional, recentemente alçado à condição de Cidadão Tricordiano, e que há alguns anos é também cadeirante, já tendo atuado diretamente em nossa terra em benefício de um dos membros de nosso grupo.

Logo, o ‘peixinho’ Marcus Willian nos relatou sobre sua participação recente num torneio de natação realizado em Três Pontas, de onde trouxe três novas medalhas: “fui nas águas do Padre Vitor!”. Seu pai, Marcos, nos informou que o GF Supermercados está iniciando uma contribuição mensal a eles, para sua participação nestes torneios.

Fátima, também fala de seu filho de 24 anos, portador de deficiência intelectual, que também é vencedor em concursos de desenho, e promete nos trazer seus trabalhos.

Fernando fala que foi, nesta semana, ao encontro do pessoal da Unaped, em nossa Universidade, e ficou muito impressionado com as mudanças arquitetônicas que ali foram feitas.

Ele também foi à Escola Especial Santa Tereza: “me levaram de sala em sala, fiquei muito emocionado lá!”, e concluiu desta sua visita: “as pessoas precisam ir lá, aí vão dar mais valor na própria vida!”.

E, por fim, Regina sugeriu que nossa fizéssemos uma foto do grupo, frente às manifestações preconceituosas após as eleições, que declarasse nossa posição “contra o ódio e o preconceito!”.

Bem, nossa próxima reunião será na quarta-feira, na Escola do Legislativo, a partir das 19h30min. Venha participar conosco da construção desta política pública de inclusão!





Dr. MAURICIO CONVIDA


PROJETO EDUCAÇÃO + SAÚDE DISCUTE “DEMÊNCIAS”

Nunca na história tantos viveram tanto como nos dias atuais: com o surgimento de novos tratamentos mais eficazes, vacinas, antibióticos, com o maior conhecimento sobre as doenças e controle de epidemias, a faixa dos idosos é a que mais cresce na população.

Paralelamente, o aumento do nível educacional e da renda, e a constituição de políticas de inclusão, contribuem para uma melhor qualidade de vida, sobretudo, àqueles que estão na terceira ou até na quarta idade.

Como conseqüência direta desta nova realidade, vemos também surgir e crescer alguns quadros próprios desta faixa etária, como as DEMÊNCIAS.

Para falar sobre este tema tão atual quanto necessário, nesta semana receberemos em nossa 14ª edição do Projeto Educação + Saúde, o médico clínico geral e geriatra, Dr. Ricardo Felipe Westin.

O evento, gratuito, acontecerá na Escola do Legislativo (anexo à Câmara Municipal), na próxima quinta-feira (06/11), a partir das 19h00min. Venha aprender mais! Você é meu convidado!





EDUCAÇÃO PARA A VIDA



A QUESTÃO DAS DROGAS AO PÉ DA LETRA


Nesta semana estive na Escola Municipal Luíza Gomes Lemos, convidado para participar dos eventos que compõem o projeto “Educação para a Vida”. Então, fiz uma palestra para alunos e professores sobre o tema “A ADOLESCÊNCIA DIANTE DAS DROGAS”.

Este tema proposto foi uma oportunidade para discutirmos diversos outros assuntos próprios dos alunos que estão nesta faixa etária, sobretudo a construção de suas identidades a partir das escolhas que estão ou não podendo fazer: identidade de gênero, identidade profissional, crises na relação com os pais, novas configurações familiares, sentimento de pertencimento a grupos específicos, e outras marcas pessoais.

E, por fim, conversamos sobre o universo das drogas, prática entendida como refúgio diante da incapacidade emocional de enfrentamento desta realidade que exige escolhas.

A participação interativa suscitou questões e o relato de experiências, proporcionando um importante momento de aprendizagem na vida de todos nós.





JÁ OUVIRAM FALAR DO PROJETO VERSÁTIL ESPORTES?



“QUERO CHEGAR À SELEÇÃO BRASILEIRA DE HANDEBOL!”


Nesta semana fui conhecer o PROJETO SOCIAL VERSÁTIL ESPORTES, idealizado pelos professores de educação física Anderson e Flávio, que dá oportunidade a meninas de 10 a 16 anos, de diversas escolas de nossa cidade, de buscarem sua inserção social pela prática do Handebol.

Trata-se de um projeto “independente, filantrópico, sem fins lucrativos, que busca resgatar e divulgar o esporte em todas as camadas sociais de nossa cidade”, conforme divulgou Anderson. E, para tanto, recebe o apoio de diversas empresas e profissionais daqui, que são tantos que fica difícil citá-los nominalmente.

Periodicamente, os professores divulgam este projeto em nossas escolas, convidando os alunos e esclarecendo sobre a importância da prática esportiva, em especial, do handebol: o projeto mantém três núcleos de treinamento, na Escola Estadual Godofredo Rangel, no Parque Dondinho (terças e quintas-feiras a partir das 16h30min), e no Círculo Militar (aos sábados, pela manhã).

Nos seus três anos de vida, o Projeto subiu ao pódium nas competições que participou: “e pela primeira vez na história de Três Corações uma equipe foi campeã dos Jogos Escolares de Minas Gerais nessa modalidade!”.

Recentemente, foram aprovadas quatro atletas deste projeto, que fizeram teste para integrarem o Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), em São Paulo. São elas Miriam, Tayara, Pâmela e Alice. Ainda assim, estão dependendo de ‘alojamento’ pra ficarem naquela capital. Fica a dica: qualquer ajuda é muito bem-vinda, e os contatos são, com Anderson (dessonedfisica@gmail.com, ou (35) 9133-9219/8803-8218/8421-6712), e com Flávio (flavioed.fisicatc@hotmail.com, ou (35)8881-7384/9125-7105/8432- 3875).

Bem, esta é mais uma ação voluntária que merece nosso respeito e compartilhamento. Parabéns Anderson! Parabéns Flávio! Parabéns às meninas que estão brilhando e, com esforço, levando o nome de Três Corações ao Brasi!






SESSÃO ORDINÁRIA


Nesta semana, como justificado a nós vereadores pela Direção da Câmara, em função do dia do servidor público, não tivemos nossa habitual Sessão Ordinária.

Nenhum comentário:

Postar um comentário