Total de visualizações de página

domingo, 9 de novembro de 2014

08/11/2014
A FAMÍLIA COMO FONTE DE SAÚDE MENTAL


 
O PAPEL DE CADA UM DENTRO DE CASA SE REFLETE NO PAPEL DE CADA UM NA SOCIEDADE


Fui convidado para participar da XV Semana Interna de Prevenção de Acidentes e Meio Ambiente – SIPATMA, na KERRY DO BRASIL, que teve como tema “ALGUÉM TE ESPERA EM CASA”, numa clara alusão às famílias dos funcionários que, desta forma, integram-se a eles formando um só corpo.

Comecei falando sobre os diversos casos clínicos que atendo que não são mais que uma repercussão da sua desagregação familiar original. Então, falamos sobre as diversas atribuições da família na formação de seus filhos, em especial, no necessário exercício das funções maternas e paternas, cada uma das quais com seus atributos que preservam se bem exercidas, a constituição de uma mente saudável, o que concluirá numa personalidade forte, que permita o enfrentamento das diversas situações reais, que se nos apresentam cotidianamente.

O contrário disto é o adoecimento, com seus diversos matizes: depressão, dependência química, transtornos de caráter, somatizações, traições, sentimento de vazio, etc.

Com a participação interativa de todos que assistiram, colocando suas experiências pessoais e trazendo questões, conversamos ainda sobre as ‘novas configurações familiares’, reiterando que a consideração amorosa pelo outro, o respeito às diferenças, e a aceitação dos limites, são a regra para a convivência familiar e sua preservação, sendo assim, garantia de uma sociedade igualitária e responsável pelos seus cidadãos.





MOVIMENTO TR3S CORAÇÕES SEM DEGRAUS


DEBATE ABERTO SOBRE DIVERSAS QUESTÕES DOS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS

Comecei nossa reunião convidando o grupo para assistir à palestra sobre “Demências”, que seria realizada no dia seguinte em nossa Escola do Legislativo.

Andréa então entregou-nos as listas de assinaturas colhidas na Empresa ZANATTA, em adesão ao nosso Projeto de Iniciativa Popular que quer criar o Censo Municipal da Pessoa com Deficiência.

Conversamos sobre uma situação ocorrida no CAPS de nossa cidade nesta semana, veiculada na Rádio Tropical, em alusão à situações de atendimento precário que estariam ocorrendo naquele local que abriga pacientes com transtornos mentais.

Discutimos se faríamos nossa próxima Reunião Itinerante na UNINCOR, conforme nos foi autorizado, mas decidimos aguardar para nos organizarmos melhor para o próximo mês.

Também, falamos sobre a formatura da primeira turma da UNAPED (Universidade Aberta da Pessoa com Deficiência), que será no dia 03/12, na UNINCOR, e sobre as providências que precisam ser tomadas.

Marcelo formalizou a alguns vereadores, em carta lida em nossa Sessão Ordinária, seu agradecimento pela ajuda que recebeu para a realização de sua feijoada beneficente. E, nos comunicou que “minha cadeira da Colônia chegou, a cadeira que pedi no ano passado”.

Falei sobre o trabalho que estou fazendo junto à equipe do Centro de Reabilitação da FHEMIG, para tentarmos conseguir que se efetivem os benefícios da portaria 1272 do Ministério da Saúde.

Márcia questionou-me sobre haver serviço de avaliação pré-anestésica para pacientes que serão submetidos à cirurgia pelo SUS.

Bem, nossa próxima reunião será na quarta-feira, a partir das 19h30min, na Escola do Legislativo. Se puder, compareça!





Dr. MAURICIO CONVIDA DEBATE “DEMÊNCIAS”

 
“NA VELHICE, O FUNDAMENTAL É O AFETO!”


A 14ª edição do Projeto “Educação + Saúde”, ciclo mensal de palestras sobre temas contemporâneos de saúde e para o bem-estar, reuniu, nesta semana, jovens estudantes secundaristas e universitários e quase uma centena de idosos de Três Corações e região. O projeto, idealizado por mim e realizado com apoio da Escola do Legislativo da Câmara Municipal, oferece encontros, abertos ao público em geral, com grandes especialistas em saúde. E tem por finalidade difundir socialmente informações atuais de saúde e subsidiar debates da área para Câmara Municipal.

Dr. Ricardo Felipe Westin, na apresentação do tema, destacou que os quadros demenciais são diversos em tipo, intensidade e conseqüências: “Em geral, eles afetam o funcionamento da memória e da atenção do indivíduo e a família e as pessoas próximas do idoso têm um papel fundamental no diagnóstico!”. Uma cozinheira antes virtuosa e que passa de repente a errar os ingredientes sistematicamente pode estar precisando de ajuda; do mesmo modo, se sem razão aparente ela trocar as receitas prediletas pelas receitas mais simples pode estar se submetendo a mudanças que ainda não percebeu.

Para Westin, é importante que a sociedade se dê conta de que, para além das questões de geriatria (medicinais), o mundo vive hoje a popularização da gerontologia (dos processos naturais do envelhecimento). Com a população idosa crescente como nunca se viu antes na história a sociedade está cada vez mais em contato com as particularidades e desafios desta fase da vida.

No debate com o público, o geriatra informou que ainda não há consenso médico sobre a motivação genérica dos quadros demenciais. Ele esclareceu que Parkinson e Alzheimer não são males conseqüenciais em si, embora um possa criar as condições para o surgimento do outro, ou eles associarem-se, dependendo do histórico do paciente.

Lembrei que o convívio com as demências impõe para a família um trabalho de luto; “quem sempre cuidou de repente precisa ser cuidado, há uma inversão radical de papéis, muito difícil, mas que precisa ser encarada. Quem cuida de crianças o faz tendo no horizonte que as crianças crescem e se emancipam; quem cuida de um idoso debilitado precisa aceitar que os cuidados serão necessários enquanto existir a vida, que deles dependem a vida.”

Falando a respeito das boas iniciativas e práticas para os idosos, Dr. Ricardo Westin ressaltou a importância de grupos como o Núcleo de Atividades Físicas da Terceira Idade (NAF), que há 17 anos reúne e organiza idosos tricordianos em atividades recreativas e terapêuticas. E lembrou o surgimento, em alguns países, da tendência de idosos a se juntarem em “repúblicas” para cuidarem uns dos outros. “Abri a fala de hoje com a imagem de um grupo de idosos juntos para lembrar que, como em qualquer fase da vida, na velhice o fundamental é o afeto”, concluiu Dr. Ricardo.

Nossa próxima edição do Projeto Educação + Saúde, fechará 2014 com palestra do médico neurologista Dr. Luiz Antônio M. Moreira sobre o universo das “Dores de Cabeça”, no dia 04/12.  E, você é meu convidado!





CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL PEDE SOCORRO



REPORTAGEM DA TROPICAL DENUNCIA DESATENÇÃO JUSTAMENTE EM LOCAL QUE DEVERIA DAR ATENÇÃO À SAÚDE



Voltei, nesta semana, ao CAPS de nossa cidade, para certificar-me sobre a veracidade das queixas de atendimento precário que foram veiculadas na Rádio Tropical, no programa Cidade em Revista na última quarta-feira.

Na reportagem, uma paciente que é assistida no CAPS queixava-se, sobretudo, da falta de água, de alimento, de limpeza adequada, e do transporte para os pacientes ali chegarem, o que teria sido reiterado pela psicóloga que ali trabalha.

Logo que cheguei, encontrei-me com quatro membros da equipe do CAPS, que logo me informaram: “já está tudo resolvido!”, “agora já tem água e pãozinho, e já voltou a faxineira pra cá!”. Então me contaram que, de fato, as queixas citadas eram procedentes (por exemplo, falaram: “a van estava sem vir, os pacientes estavam ficando em casa sem atendimento”, ou “a padaria falou que não ia mais mandar pão porque fazia cinco meses sem pagamento!”, ou “os pacientes estavam indo no parque infantil pra tomar água!”), e que já haviam comunicado, anteriormente à reportagem, à secretária de saúde, que teria dito que resolveria os problemas levantados.

Conversei também com a psicóloga (que está trabalhando na Prefeitura desde 1993, e no CAPS desde sua fundação), que reiterou a denúncia: “tudo o que a paciente falou é verdade!”, “trabalhamos com pacientes que têm sofrimento mental, de baixa renda,...!”.

Nosso CAPS assiste uma média de 200 pacientes portadores de transtornos mentais, e para tanto conta com uma portentosa equipe (psicólogas, terapeuta ocupacional, assistente social, enfermeiro, psiquiatras, e outros). Já trabalhei lá e reconheço sua importância no universo da abordagem ao paciente psiquiátrico. De modo semelhante, reconheço a qualidade e dedicação dos profissionais que ali exercem suas atividades, inclusive de seu coordenador, o enfermeiro Cleber (que estava de férias neste período), tão dedicado quanto atencioso aos pacientes e às suas famílias.

Não acredito em má fé neste caso, nem por parte desta equipe nem por parte da administração municipal da saúde: todos sabem da responsabilidade que têm em relação a estes pacientes e se esforçam para oferecer o melhor atendimento possível. Voltei algumas vezes ao CAPS desde que fui eleito vereador e sempre acompanhei e atestei o zelo no cuidado ali oferecido.

Mas, é claro, é preciso apurar tais fatos para que se encontrem os erros e os responsáveis por estes erros, e que se aprenda com esta experiência para que não se repita. O CAPS é um instrumento de atenção à saúde mental, financiado em grande parte pelo governo federal, e não se admite que tais fatos sejam negligenciados, especialmente por estarmos lidando com a saúde de pessoas tão frágeis.





JORNADA SUL-MINEIRA DE PSIQUIATRIA



“NÃO MATARÁS! NEM A SI MESMO!”


Nesta semana, aconteceu na cidade de Lavras, numa promoção da Associação Mineira de Psiquiatria – AMP, a I Jornada Sul-Mineira de Psiquiatria, que teve como tema principal os “Transtornos de Humor”, e reuniu muitos psiquiatras de nossa região.

Fui convidado para coordenar uma das mesas de trabalhos que discutiu dois temas muito importantes: os transtornos de humor na infância e adolescência; e os transtornos de humor durante a gestação. Em outro momento, discutimos “Suicídio: como identificar os fatores de risco e como tratar”. Perguntei ao palestrante: “É verdade que quem se mata não avisa?”. E ele respondeu: “Não! 70% das pessoas que se matam avisam que vão se matar, e muitas vezes se matam com os próprios medicamentos que lhes foram receitados!”.

Também falamos sobre a necessidade de regularmente fazermos uma avaliação sobre o estado de humor em mulheres grávidas, que isto deveria ser uma exigência natural em todos os serviços de atendimento a este público, para intervenção precoce em quadros depressivos e ansiosos.

Convidei a todos para realizarmos nossa próxima Jornada em Três Corações, no início do próximo ano, o que foi logo aceito, e estamos nos esforçando para viabilizar esta possibilidade, trazendo conhecimento para nossos profissionais e maior esclarecimento para nossa população, que poderia participar em seus eventos paralelos.







1.   Selfies da Semana


1.   Com Ronaldo: quando ele me sugeriu “quer jogar uma água no vidro, doutor?”, e eu, lembrando de uma frase da amiga ambientalista Ângela Azevedo quando disse “carro sujo é sinal de pessoa consciente!”; respondi a ele: “obrigado, mas é hora de economizar!”.

2.   Com a Dra. Simone: quando ela propôs uma ação para promovermos a conscientização, junto às escolas, sobre a necessidade de pouparmos água.

Ela sugeriu um concurso de desenho, ou redação, alusivos ao tema, e pensou que o prêmio poderia ser uma bolsa de estudos em escolas de idiomas, mas que também já iria conversar com a direção da UNINCOR para ver se também aderem a esse projeto.

3.   Com o Dr. Antônio Miguel: quando ele contou-me sobre um projeto do qual participa, que reúne semanalmente um grupo de pais de filhos hiperativos, para conversar com eles e trocarem experiências sobre como lidarem com estes filhos.

4.   Com Rosa: a professora estava me contando como seus alunos já estão imbuídos do desejo de freqüentarem as palestras de nosso Projeto Educação + Saúde.

Ela entendeu como o hábito de serem estimulados, por ela, a participarem freqüentemente destes encontros, construiu uma cultura na vida destes alunos.

5.   Com Elisamara: quando concedi entrevista à Rádio Tropical, discutindo sobre a ausência do Estado no oferecimento de opções de tratamento sob regime de internação a pacientes dependentes químicos.

Este lugar fica então ocupado pelas comunidades terapêuticas dirigidas, geralmente, por ex-dependentes químicos ou por religiosos.

6.   Com a Dra. Maura: quando ela relatou-me que além de trabalhar em nosso CAPS, é também especialista em pericia médica, tendo trabalhado como perita no INSS, sendo então uma importante opção quando da necessidade de tais procedimentos para fins previdenciários ou judiciais.

7.   Com Gleicione: a Reitora da UNINCOR esteve em nossa Câmara, para prestigiar os 32 alunos do Colégio de Aplicação da UNINCOR que foram destaque na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica 2014.

8.   Com Braz Chediak: quando ele recebeu, em nossa Sessão Ordinária desta semana, uma Moção de Aplausos, pelo conjunto de sua obra, sendo destacado tanto nas artes como no desenvolvimento de projetos sociais em nossa cidade.


2.   Será realizado em nossa Câmara, entre os dias 26 a 30/11, o “I Seminário sobre a Morte e o Luto”, organizado pelo Grupo Âncora – Grupo de Apoio aos Enlutados; e pelo Curso de Psicologia da UNINCOR. Informações pelo telefone 3231.2367.




3.   Nesta semana não tivemos nossa habitual Reunião de Comissões, segundo me informaram, por falta de quórum, visto que alguns vereadores estavam em viagem.





A JUSTIÇA TARDA, MAS NÃO FALHA!



Em nossa Sessão Ordinária na Câmara, nesta semana (03/11/14), aconteceu um fato que considero histórico pelo simbolismo a ele agregado: o Prefeito, muito possivelmente para se livrar de uma eventual Ação Civil Pública, acatou a recomendação do Ministério Público e encaminhou à votação uma Lei que revoga, anula, outra Lei que havia sido anteriormente aprovada nesta mesma Casa.

Os vereadores votaram unanimemente pela aprovação desta revogação, que faz voltar aos cofres municipais o dinheiro que havia sido redirecionado à Procuradoria do Município quando do pagamento das verbas de sucumbência pelos processos ali movimentados.

No meu entender, estamos conseguindo reverter uma ação injusta e descabida, tudo dentro da legalidade. E isto é exemplar!

Todo este processo se iniciou no fim do ano passado quando havia sido aprovada esta Lei que transferia à Procuradoria as tais sucumbências, beneficiando apenas algumas pessoas que ali trabalhavam. Sem tirar-lhes o mérito profissional, que sei que os têm, considerei tal procedimento ilegal, por serem eles funcionários já remunerados pelo Município. Imagine numa cidade muito maior, como São Paulo, se aplicado esse benefício? Considerando processos muito mais vultosos, quanto de tais verbas de sucumbências não arrecadaria apenas alguns, em desfavor dos cofres públicos?

Pois bem, movido por esta questão meramente ideológica, e amparado no estudo de outras jurisprudências e alegações advindas do Supremo Tribunal de Justiça, fiz uma Representação ao nosso Ministério Público, em particular, ao Dr. Victor Hugo, que prontamente a acolheu e encaminhou, com alegações muito mais fundamentadas, ao Prefeito, a recomendação para que suspendesse imediatamente tal pagamento e que tivesse a iniciativa de revogar aquela Lei.

E, agora, sussurra-me ao ouvido aquele velho provérbio: “A JUSTIÇA TARDA, MAS NÃO FALHA!”.





SESSÃO ORDINÁRIA


Em nossa 33ª Sessão Ordinária, realizada na última segunda-feira, e seguida da 28ª Sessão Extraordinária (esta realizada apenas para referendar a aprovação definitiva dos projetos que foram votados na Sessão Ordinária imediatamente anterior), tivemos a seguinte pauta:


EM 2ª E ULTIMA DISCUSSÃO E VOTAÇÃO

1.   Projeto de lei ordinária que Altera o art. 9º da Lei nº. 3.668/2011, de 02/06/2011, que “Dispõe sobre autorização para implantação do Programa Bolsa Aluguel Social no município de Três Corações – MG”, e dá outras providências.

Apesar de aprovar este projeto, reiterei o pedido para que a Secretaria de Desenvolvimento Social nos apresente os dados objetivos da situação já existente no Município do custeio do aluguel de famílias carentes.


Em 1ª DISCUSSÃO E VOTAÇÃO

1     Projeto de lei ordinária que Autoriza o repasse de recurso do Fundo da Infância e Adolescência – FIA, sob forma de Contribuição, para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais - APAE -, no exercício financeiro de 2014.

2.    Projeto de lei ordinária que declara de Utilidade Pública a “Caixa Escolar Professora Maria Evani Gomes Teles” e dá outras providências.

3.  Projeto de lei complementar que Revoga a Lei Complementar nº. 363/2013, de 13/12/2013, que “Revoga a Lei Complementar nº 0.246, de 17 de setembro de 2009, altera a redação do parágrafo único do artigo 23 da Lei Complementar nº 0.201, de 15 de maio de 2007”, e revoga dispositivo da Lei Complementar 0.201, de 15/05/2007, e dá outras providências.

Este projeto revoga a Lei que foi anteriormente aprovada em nossa Câmara, que destinava as verbas de sucumbência à procuradoria do Município.


4.   Projeto de lei ordinária que Concede Contribuição Corrente à ASSOCIAÇÃO PRÓ-ESPORTE E RECREAÇÃO, no exercício financeiro de 2014, e dá outras providências.

5.   Projeto de lei ordinária que Concede Contribuição Corrente à ASSOCIAÇÃO PRÓ-ESPORTE E RECREAÇÃO, no exercício financeiro de 2015, e dá outras providências.

Para votar este projeto, fiz a seguinte colocação:

O tema é muito mais amplo do que parece: remonta às Olimpíadas de Barcelona (1992), quando a idéia de legado urbanístico a partir de grandes eventos internacionais ganhou fôlego e um caso de sucesso. Em Barcelona, em 1992, o Brasil conquistou a primeira medalha olímpica de ouro em esportes coletivos com o voleibol masculino.

A partir dali, aproveitando desse resultado histórico, a Confederação Nacional de Voleibol (CBV) iniciou amplo programa de formação de técnicos e de escolas de base, buscando estruturar a popularização do esporte no país. Bem sucedida, a iniciativa ressoaria em Três Corações no final dos anos 90, quando a cidade organizou um time profissional para disputar a Superliga (campeonato nacional), em experiência que durou uns poucos anos, mas que deixou na cidade um trabalho de base que, nos últimos 14 anos, além de proporcionar atividade desportiva para centenas de crianças, já alçou tricordianos para as principais equipes profissionais do país. Hoje, um jovem talento tricordiano encontra na própria cidade preparação técnica para chegar à idade adulta jogando profissionalmente, o que não é pouco. Como resultado, em breve, teremos ídolos locais de expressão nacional no esporte; caso de Alisson, o promissor camisa 8 do time jovem do SESI-SP (um dos melhores clubes do país), que disputa a Superliga B.

Hoje, o projeto capitaneado pelo Prof. Toninho oferece treinamento para todas as categorias de base, numa estruturação que se desenvolveu ao longo de 14 anos de trabalho, o que dá contexto para a existência e projeção futura de uma equipe profissional no Esporte.

Portanto, trata-se de aprovar um projeto concreto e já realizado, em fase de expansão, e não de financiar-se uma possibilidade vaga ou imprecisa. O projeto tem história e contexto nas políticas públicas nacionais de desporto: por isto deve ser aprovado.

Além disto, precisa ser estudado dentro do Processo Legislativo da Câmara Municipal, para; que suas qualidades de política pública venham a servir de referência para outras modalidades esportivas da municipalidade; para que o projeto, dispondo do reconhecimento da autoridade legislativa local, oficial e apropriada, referende a busca de fontes de subsistência no futuro; e para que a Câmara Municipal desenvolva o devido registro legislativo (completo) do contexto que enseja a decisão em curso.



5.   Requerimento da Vereadora Francisca Filomena Lodonho,  solicitando o deferimento da justificativa de sua ausência nos trabalhos legislativos no período compreendido entre os dias 19 a 21 de novembro do corrente ano, por motivo de viagem à Itália onde irá participar do Congresso Aderentes, como membro indicado pela cidade de Três Corações, do Movimento Focolares.


Nenhum comentário:

Postar um comentário