Total de visualizações de página

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Saúde do Homem: saiba como foi

material de divulgação
Alta mortalidade, problemas e tratamentos da próstata, e a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem foram alguns assuntos apresentados pelo médico proctologista Dr. Adilson M. Rosa.

Aconteceu na noite de ontem (09/4) a palestra “Conversa ao Pé do Ouvido”, sobre saúde do homem, do médico proctologista Dr. Adilson Marciano Rosa, proferida na Escola do Legislativo da Câmara Municipal de Três Corações, por ocasião da 18ª edição de “Dr. Maurício Convida: Educação + Saúde”, ciclo de palestras sobre temas contemporâneos de saúde e para o bem-estar, de iniciativa Comissão Permanente de Saúde do Legislativo Municipal, presidida pelo vereador Maurício Gadbem.

https://abramepblog.wordpress.com/
A palestra, que integra o repertório de ações de promoção do diagnóstico precoce da Associação Brasileira de Medicina Preventiva (ABRAMEP), fundada por Dr. Adilson M. Rosa há 15 anos, apresentou dados alarmantes sobre a mortalidade masculina no Brasil, e as principais características e diretrizes da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem (PNAISH), de 2009.  

Com dados do Ministério da Saúde (MS), Dr. Adilson M. Rosa esclareceu que a PNAISH é voltada para homens com idade entre 20 e 59 anos porque é essa a faixa em que morrem brasileiros do sexo masculino até 2 vezes mais do que as mulheres de idade equivalente. O que tem por resultado concreto que, hoje, a expectativa de vida dos brasileiros seja de quase 8 anos menor que a das brasileiras.

Educação + Saúde (do arquivo)

“Quando um homem adoece, numa família da estrutura tradicional brasileira, mulheres e crianças ficam em dificuldades, já que em nosso modelo familiar prevalece o homem como arrimo”, ponderou o médico, que é também vereador em Varginha-MG.

“No SUS, em 2009, 80% das internações masculinas foram motivadas por causas externas, com preponderância da faixa etária dos 20 aos 29 anos: os acidentes de trânsito foram os grandes causadores de internações, seguidos pela violência entre homens, por razões passionais, de domínio ou por uso de tóxicos legalizados ou não, pelos acidentes de trabalho e pela falta da cultura da saúde preventiva”, destacou o médico.

No debate com o público, que contou com servidores da Saúde Municipal e com acadêmicos de enfermagem da Unincor, destaque para o preocupante tema do diagnóstico e tratamento de problemas na próstata, e para as dificuldades do sistema de saúde pública para alcançar o público masculino.

Respondendo a dúvidas da platéia sobre problemas de próstata, Dr. Adilson M. Rosa defendeu a necessidade do diagnóstico completo; “Os exames laboratoriais são insuficientes frequentemente. A depender do histórico familiar do sujeito um inchaço na próstata pode ser preocupante ou não. Minha próstata é duas vezes maior que o normal”, exemplificou o médico, e esclareceu, “a idade induz a esses quadros. Então, para garantir a saúde o importante é consultar um médico, pois há informações que só a anamnese e o exame de toque trazem para o diagnóstico da próstata.”

Para Maurício Gadbem, organizador do evento; “Ficou clara a necessidade de ações coordenadas entre iniciativa privada, organizações não governamentais e poder público pela saúde do homem. Em geral, os homens estão no trabalho quando as equipes do Programa de Saúde da Família (PSF) fazem seu trabalho, por exemplo, então as empresas precisam se comprometer com a pauta; iniciativas como essa da ABRAMEP, de difusão de informações técnicas e atualizadas, precisam ser procuradas e multiplicadas”, ponderou o vereador tricordiano, e concluiu; “discutir a ‘Saúde do Homem’ nos deu outro ponto de vista, um tanto assustador porque abrangente, sobre problemas como o da violência no trânsito e dos acidentes de trabalho, que já foram isoladamente temas de edições anteriores de ‘Educação + Saúde’; além dar ao debate questões como as doenças da próstata e seus tratamentos, que são tabus perigosos para os homens. Foi muito enriquecedor.”

JUNTOS PODEMOS +

A PRÓXIMA EDIÇÃO SERÁ NO DIA 07/5, E TERÁ COMO TEMA  “QUANDO O SEXO É UM RISCO”. Serão debatidos assuntos como o exercício da sexualidade após infartos, a prática compulsiva do sexo, o sexo com pessoas acometidas por doenças sexualmente transmissíveis, durante a adolescência e na menopausa, sexo virtual, e mais; COM MEDIAÇÃO DO MÉDICO GINECOLOGISTA DR. VENÍCIO BRANQUINHO PEREIRA E DA SEXÓLOGA ADÉLIA M. B. S. LIMA . 






Nenhum comentário:

Postar um comentário